A tiara floral dinamarquesa

Percebi que vocês adoram quando eu mostro uma tiara que é multi-funções, não é mesmo meninas? Será que é por que vocês, mulheres, também sejam assim, múltiplas, capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo e assumir vários papéis?! rsrsrs. Com certeza tem a ver com essa identificação e também com o desejo feminino que adora recriar e dar um toque pessoal as suas joias. E tem coisa mais divertida do que isso?

Nesse post vou apresentar outra joia que segue essa linha versátil e que é ao mesmo tempo uma tiara, enfeites de cabelo e broche. Trata-se da Aigrette Floral, toda cravejada de diamantes e que pertence à rainha Margrethe II da Dinamarca. A peça foi criada na metade do século XIX e há indícios de que tenha pertencido à grã-duquesa Anastasia Mikhailovna, da Rússia, cuja filha mais velha, Alexandrina, era a rainha consorte do rei Christian X da Dinamarca.

Ricamente elaborada, essa tiara se divide em três partes, e que pode ser usada na cabeça como um aro quase fechado. O mais bacana dessa joia é que cada parte podem ser desmontada e usada separadamente. O elemento central da flor é montado em um tipo de pivô flexível, de modo que ele vibra e se move um pouco, não fica estático sobre a tiara.

Em meados do século XX, a tiara pertenceu a um tenor dinamarquês-americano, Lauritz Melchior, que era famoso por cantar a ópera wagneriana. Sua esposa foi fotografada com a Aigrette no início dos anos 1960. Em 1963, no entanto, os Melchiors decidiram se separar da tiara, colocando-a em leilão.

A peça foi adquirida pelo rei Frederico IX da Dinamarca, neto da grã-duquesa Anastasia Mikhailovna. Sua esposa, a rainha Ingrid, amou a tiara e foi vista muitas vezes com essa relíquia. A primeira vez que a usou foi no casamento de Margrethe com o conde Henri Laborde de Monpezat em 1967 e, posteriormente, também emprestou à filha. E vejam só como a Rainha Margrethe sabe explorar a incrível versatilidade dessa joia. Inventiva, sempre surpreende o público e já usou partes da joia como um broche e as demais como enfeites de cabelo.

Sua filha, Margrethe, herdou a peça em 2000 e também segue a tradição de usar a tiara de múltiplas formas. Inclusive, ela até escolheu a Aigrette para uma das mais importantes ocasiões reais dinamarquesas do século XXI: o casamento de seu filho mais velho, o príncipe herdeiro Frederik, com Mary Donaldson em 2004. Sempre deslumbrante e impecável!

Particularmente eu acho muito chic ver essa peça sendo usada logo abaixo do coque. Percebam como ela empodera e destaca ainda mais a beleza do seu design de inspiração floral e os diamantes. Valoriza muito a beleza da mulher e permite que até mesmo de costas ou de lado se note os detalhes dessa joia única e inigualável. Uma bela inspiração para as noivinhas poderosas!

Beijo, beijo!

Miguel Alcade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *