fbpx

As joias da Rainha Elizabeth

Está com saudade de viajar pra Europa, né minha filha? Eu também! Rs… Sempre amei passear velho mundo e descobrindo – literalmente! – muitos de seus tesouros! Nesse quesito, Londres pra mim tem um sabor todo especial. É lá que estão muitas das joias mais incríveis já criadas em toda história da joalheria. E não por acaso, grande parte pertence à Rainha das Rainhas, Elizabeth II.

O acervo que ela usa pertence ao patrimônio da coroa britânica e são mantidas na Torre de Londres. A coleção representa mais de 800 anos de história e revela que, entre altos e baixos, sempre houve espaço no mundo para as joias relevarem seu lado mais esplendoroso, enchendo a humanidade de esperança e alegria. Vem comigo conferir alguns destaques!

Coroa britânica

Marca registrada da monarquia britânica, a coroa da realeza foi criada em 1937 para o rei Jorge VI. A joia pesa quase 1 kg e é cravejada de diversas pedras preciosas, sendo a mais valiosa o diamante Kohinoor, localizado no centro da peça. Acredita-se que ele possa ter mais de 5 mil anos e tenha passado por diversas mãos até chegar ao marajá indiano Ranjit Singh, em 1813. Quando o país virou colônia britânica, a joia acabou sendo confiscada pela rainha Victoria e faz parte do acervo britânico desde então. A Índia já tentou reaver a joia, mas não obteve sucesso. 

Tiara Halo 

A tiara usada pela duquesa de Cambridge no dia do casamento foi emprestada pela rainha Elizabeth. A joia foi dada como presente de aniversário de casamento do rei George VI para sua esposa Elizabeth (também conhecida como a mãe-rainha), em 1936. A rainha-mãe então a presenteou para a rainha em seu aniversário de 18 anos. Ele contém mais de 1.000 diamantes e também foi usada pela princesa Margaret.

Broche de safira 

Outra peça que marca a joalheria e que inspirou diversas outras joias. O broche de safira é um dos preferidos da Rainha Elizabeth. Ele foi surgiu para a história em 10 de fevereiro de 1840, quando a rainha Victoria o ganhou do príncipe Albert, seu noivo. Como na tradição inglesa a noiva precisa usar algo novo, algo azul, algo antigo e algo emprestado, o broche fez o papel do “algo azul”, já que a cor simboliza lealdade e devoção. 

Rubi Birmanês

Rubis são dignos de uma rainha e Elizabeth não abre mão deles. As gemas rubras adornam uma de suas coroas preferidas, feita pela joalheria Garrard em 1973. A joia apresenta 96 rubis que foram presentes da Birmânia (hoje Mianmar), quando Elizabeth se casou com o duque de Edimburgo em 1947. Os diamantes também foram presente de casamento, do Nizam de Hyderabad, o monarca do estado indiano de Hyderabad.

Colar de pérolas

Um clássico da Rainha Elizabeth que se tornou a sua marca registrada. É singelo comparada às outras joias da monarca, mas é especial por motivos efetivos. Ela recebeu esse colar de presente de seu pai e, é possível encontrar uma série de visuais em que ela apostou na peça, isso porque é um acessório que harmoniza com qualquer produção e traz uma estética requintada.

Tiara da Duquesa Vladimir

Amo essa tiara, que sem dúvida, é uma das mais icônicas da Rainha. A joia foi leiloada pela Duquesa Vladimir, da Rússia, pode ser usada de diferentes maneiras e, por essa versatilidade já pudemos ver a monarca apostando em diferentes ocasiões, seja com pérolas, esmeraldas ou apenas diamantes. É divina!

Beijo, beijo!

Miguel Alcade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *