Oportunidade rara de conferir a tiara de safiras da Rainha Vitória

A vida é feita de oportunidades, meninas. Por isso temos que aproveitar quando elas surgem! Eu já apresentei aqui no meu blog a fascinante tiara de safiras e diamantes criada especialmente para a Rainha Vitória, em 1840, por ocasião do seu casamento com o príncipe Albert. Pois eis que essa preciosidade está, pela primeira vez em sua história, sendo vista pelo grande público.

A joia está em exposição permanente nas novas galerias do Museu Victoria & Albert, em Londres, local que guarda outras peças famosas da história da joalheria. Sempre vale uma visita, pois é realmente da gente se emocionar com o brilho, o requento e o luxo dessas joias especiais. Após uma reforma de três meses, a Galeria William e Judith Bollinger reabriu em grande estilo, trazendo 80 novas peças que se juntaram à coleção existente, incluindo a coroa de safira e diamante que pertencia à rainha Vitória, uma das mais comentadas joias de todos os tempos.

Como se sabe, a Rainha Vitória era uma amante de joias, e seu amor, o príncipe Albert, a ajudou a formar uma das coleções mais famosas e poderosas do mundo. Eles tinham peças muito particulares, que fizerem parte da sua história de amor. Uma delas tem os dentes dos filhos que se transformaram em brincos e pingentes ou os dentes de um veado que o príncipe Albert caçou e se transformou em um broche. Também fizeram várias miniaturas de si mesmos e de seus filhos colocados em pedras preciosas ou molduras douradas. Alguns desses objetos podem ser encontrados hoje na Coleção Real, mas uma das joias mais importantes da rainha Vitória foi quase perdida para uma coleção particular para sempre.

A pequena coroa uma peça flexível que foi projetada para ser usada de várias maneiras, foi desenhada pelo próprio príncipe Albert em 1840, o ano em que eles se casaram, e confeccionada por Joseph Kitching, o joalheiros real da Kitching e Abud. A coroa foi imortalizada em imagens quando a Rainha foi pintada usando-a por Franz Xaver Winterhalter em 1842, um retrato que foi visto ao redor do mundo. Nela, a jovem rainha, então com apenas 23 anos, usa a peça enrolada em torno de um coque na parte de trás de sua cabeça, como uma preciosa coroa de flores. Mas a peça também pode ser usada como uma tiara ou mesmo um bandeau.

A coroa foi passou pela família real, de Eduardo VII a Jorge V e Rainha Maria, depois pela Princesa Maria e sua família até que foi vendida a um comprador privado no exterior. Mas o governo, em 2016, convidou as pessoas a igualar o preço de 5 milhões de libras pago pela joia e assim a família Bollinger comprou-a como um presente para a nação, em nome do museu.

O significado emocional da peça para a rainha Vitória foi exibido ao público em 1866, quando ela saiu para abrir o parlamento pela primeira vez depois de cinco anos de luto pela morte de seu amado príncipe Albert. Ela carregava a coroa em uma almofada. Agora, a própria coroa está em exposição permanente em um dos museus mais amados do Reino Unido.

Pode haver muito mais exemplos literais de sentimentos expressos através de joias. Mas de alguma forma, esta coroa é uma das mais simbólicas do mundo por expressar o grande amor entre a Rainha Vitória e o Príncipe Albert. Eu quero muito conferir essa preciosidade ao vivo! E vocês???

Beijo, beijo!

Miguel Alcade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *